PETIÇÃO DEFENDE VIDA ANIMAL

Uma petição pública lançada neste ano, na internet, quer alterar diretriz da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) que ainda prevê a presença de salas de eutanásia e câmara de gás nos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ). O ambiente servia para extermínio em massa de cães e gatos e deixou de ser usado na capital em maio de 2005. No entanto, a manutenção da norma no projeto físico das unidades indicaria permissividade ao antigo e repudiado modelo.

Até agora, 17.395 pessoas assinaram o abaixo- assinado, acessado via internet no endereço www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N33864. O documento será direcionado ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha. De acordo com a petição, a Funasa prevê sala de eutanásia, localizada “estrategicamente próxima aos canis coletivos e individuais, de modo a facilitar a movimentação dos animais”. O material estabelece ainda as dimensões da câmara, que emitia monóxido de carbono e provocava morte por asfixia, assim como fizeram os nazistas para o extermínio de humanos.

“Se o extermínio em si é condenável por aspectos técnicos e éticos, a permissividade indicada no documento para com a utilização de câmaras de gás, ainda que, na prática, possa não estar mais ocorrendo, é um insustentável agravante, pela extrema crueldade que representa e que remete a episódios dos mais trágicos da história”, argumentam os autores da petição, Maurício Varallo, membro da Organização Não Governamental (ONG) Olhar Animal, e José Franson, vereador em Tatuí (SP).

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) é contra a eutanásia em massa como forma de controle da população de cães e gatos. Além de pedir a alteração da diretriz da Funasa, a petição sugere ainda que o órgão acrescente no documento a criação de estruturas para a prática da castração, que é usada, hoje, como mecanismo para controle da natalidade. Outra proposta é a realização de campanhas educativas de combate à violência contra animais.

Capital. A gerente municipal de Controle de Zoonoses da capital, Silvana Tecles Brandão, disse que a sala de eutanásia e câmara de gás do CCZ de BH passaram por reformas em 2008, dando lugar a outros ambientes. “A eutanásia é inadmissível. Animal não é objeto, tem de ser respeitado”, concluiu.

PROMESSA
Prefeitura busca pontos de castração
A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) de Belo Horizonte e os defensores dos animais recomendam que, em vez de as pessoas abandonarem os bichos nas ruas por falta de condições de criá-los, eles sejam castrados, para evitar gestações indesejadas. Atualmente, a prefeitura mantém três locais para esterilização gratuita, nas regiões Norte, Noroeste e Oeste (veja endereços ao lado).

Outros três novos pontos são planejados, nas regiões Barreiro, Leste e Nordeste, segundo a SMSA. “Estamos buscando imóveis que possam ser adaptados para esse tipo de serviço, mas não é fácil encontrar”, explicou a gerente de Controle de Zoonoses de Belo Horizonte, Silvana Tecles Brandão.

Atualmente, o canil do Centro de Controle de Zoonoses tem 206 cães e 26 gatos. Os saudáveis ficam disponíveis para adoção. Há ainda o projeto Adote um Amigo, que faz feiras de adoção quase todos os fins de semana. (LC)

QUALQUER SEMELHANÇA NÃO É MERA COINCIDÊNCIA

monte de cachorros

Abrigo não funciona.

Precisa ser muito bem administrado por várias pessoas, e seu foco tem de ser:
a) ter o mínimo de animais possível;
b) todos devem ser castrados, vacinados, desverminados;
c) o foco do abrigamento TEM DE SER A ADOÇÃO, não o acúmulo;
d) deve ter padrinhos e investidores permanentes;
e) as contas devem ser visíveis e devidamente esclarecidas;
f) filhotes, doentes e idosos NÃO SOBREVIVEM no meio de muitos animais;
g) deve haver veterinário acompanhando.
Abrigo que vive à beira do caos e da fome, com animais sarnentos e sujos, que não doa, e só aumenta a quantidade de abrigados, que é controlado por um(a) único(a) canalha, que recebe e não presta contas, é porta aberta para estelionatário, e VIRA CAMPO DE CONCENTRAÇÃO.

Apóie quem faz CED. Apóie animais comunitários mantidos por grupos. Apóie mutirões de castração.


NÃO CEDA A CHANTAGENS DO TIPO: “ELES NÃO TEM NEM FUBÁ AMANHÔ, SE O ABRIGO RECUSA DOAR ANIMAIS.

Force colecionadores a doar.

Não crie monstros. Se eduque a ajudar gente responsável.

COMO A SMPA PREJUDICOU O PROGRAMA ADOTE UM AMIGO DA PBH

O Programa Adote um Amigo é uma parceria com o Poder Público e a Sociedade Civil Organizada.

Animais castrados e não adotados voltam para as ruas. Isso é cruel e causa indignação, mas essa situação seria bem melhor se a SMPA tivesse aceito a parceria com o Programa Adote um Amigo e a PBH.

Todo o prédio teria sido reestruturado, todos os animais que estão lá padecendo e sendo eutanasiados indiscriminadamente, estariam sendo tratados por pessoas comprometidas com a proteção animal, e a entidade passaria a abrigar os animais recolhidos das ruas da cidade, que depois de tratados seriam encaminhados para a adoção através do programa Adote um Amigo.

Mas a SOCIEDADE MINEIRA PROTETORA DOS ANIMAIS, mesmo sendo um Órgão de Utilidade Pública, negou-se a participar do programa utilizando-se de escusas inexplicáveis, já devido à má gestão e irregularidades de toda a sorte. Assim o programa precisou ser realizado em parceria com o CCZ, que não tem espaço físico suficiente para abrigar todos os animais recolhidos, e então depois de castrados e microchipados estes animais são devolvidos novamente às ruas. Isso não aconteceria se a SMPA tivesse aceitado fazer parte do programa que foi idealizado exatamente para melhorar as condições daquele abrigo. E agora, está sendo denunciada em todas as estâncias civis e criminais por desvio de finalidade, descumprimento de estatuto, improbidade administrativa, entre outras graves acusações.

A justiça humana é falível mas a justiça ética não falha. Demore o tempo que for. 

E aí sim, teremos para onde levar os animais que serão retirados de maus tratos pela DELEGACIA DE DEFESA ANIMAL E PROGRAMA ADOTE UM AMIGO.

A Sociedade Mineira Protetora dos Animais declarou para todos saberem que os animais de lá, estão sem vermífugo, vacina e castração. Embora tenha declarado também receber doações no valor de 35 mil reais mensais. Então pq os animais estão sem remédios? Pq não estão sendo castrados? Para está indo este dinheiro que deveria ser destinado aos animais?

Várias ONGS de BH ( INCLUSIVE NÓS DO BLOG ADOÇÃO BH) se disponibilizaram a ajudar na adoção destes animais, fazendo o que é obrigação da SMPA.

A Promotora do Meio Ambiente, aconselhou-os a não receber mais animais.

As pessoas inocentes que procuram a SMPA para conseguir abrigo para novos animais, estão sendo orientadas, indecentemente, como é do feitio dos dirigentes da entidade, a procurarem os denunciantes para resolverem o problema. Eles informam os telefones dos denunciantes em retaliação às acusações que receberam.  E continuam ludibriando as pessoas.

Eu pergunto, diante do exposto acima: se a SMPA não recebe mais animais, não trata e nem castra os que estão lá dentro, usa outras entidades para conseguirem adoções e passa o telefone dos denunciantes para as pessoas que os procuram com animais que precisam de abrigo e tratamento, qual é a função e utilidade desta entidade???  Que tipo de trabalho de utilidade pública eles estão prestando??? Qual o real interesse dos dirigentes em se manterem lá dentro???

É PRECISO DEFENDER O QUE FOI ADQUIRIDO PARA OS ANIMAIS, E QUE ESTÁ SENDO DESVIRTUADO PARA O BENEFÍCIO DE UNS POUCOS.


Graça Leal do Blog Adoção BH,

- uma das mentoras do Programa Adote um amigo;
- uma das responsáveis pela divulgação do Programa Adote um Amigo;
- uma das fundadoras da Comissão Interinstitucional da Saúde Humana na sua Relação com os Animais;
- uma das fundadoras e componente do Movimento Mineiro pelos Direitos Animais;
- membro da Ong-Animais Urbanos do Brasil.

CRIMES CONTRA ANIMAIS AGORA NA MIRA DA POLÍCIA

Minas Gerais ganhou a sua primeira delegacia especializada em investigação de crimes praticados contra animais e a fauna silvestre. Agora, denúncias de maus-tratos contra cães, gatos, cavalos e qualquer outro bicho poderão ser feitas na Rua Piratininga, 105, no Bairro Carlos Prates, Região Noroeste de Belo Horizonte. A Resolução 7.499, que cria a Delegacia Especializada de Investigação de Crimes contra a Fauna foi publicada no diário oficial Minas Gerais de quarta-feira e uma equipe de investigadores da Polícia Civil já foi criada, sob o comando da delegada Maria José Mendes Quintino.

E os investigadores já têm serviço. A juíza Flávia Birchal, do Juizado Especial Criminal, expediu mandado de busca e apreensão contra um morador de Belo Horizonte que mantém dois cães sem alimentação. Os cães deverão ser recolhidos e levados para abrigo municipal ou algum órgão ligado à Sociedade Protetora dos Animais. “Já investigamos a denúncia, e o proprietário desses animais pode ser enquadrado no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais. Ele pode pegar de três meses a um ano de detenção”, disse o delegado Afrânio Lúcio Vasconcelos, da Delegacia de Qualidade de Vida e Ecologia, que divide espaço com a nova unidade.

http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/01/25/interna_gerais,345917/crime-contra-animais-esta-na-mira-da-policia.shtml

CRIADA A DELEGACIA DE CRIMES CONTRA ANIMAIS DE MINAS GERAIS

CONSEGUIMOS!!!

CRIADA A PRIMEIRA DELEGACIA DE CRIMES CONTRA A FAUNA.

Parabéns ao Deputado Fred Costa e a todos os ativistas da causa animal envolvidos nesta grande vitória!!!

Após anos de reivindicação e um abaixo-assinado com mais de 50 mil assinaturas, os defensores dos animais finalmente foram atendidos na última quinta-feira (24) pelo Governo do Estado. A Resolução 7.499 criou a primeira Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Fauna de Minas Gerais.

A nova unidade será subordinada ao Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família (DIOPF) e funcionará no mesmo prédio da Divisão de Meio Ambiente, na rua Piratininga, 105, bairro Carlos Prates, região Noroeste de BH.

http://www.hojeemdia.com.br/minas/criada-em-minas-a-1-delegacia-de-crimes-contra-a-fauna-1.82630

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.